ONU – Fundamentada numa revisão rigorosa das evidências sobre programas de educação em sexualidade, esta Orientação Técnica Internacional sobre Educação em Sexualidade é dirigida a professionais e tomadores de decisão dos setores de educação e saúde.

O presente documento (Volume I) enfoca as razões em favor da educação em sexualidade e fornece conselhos técnicos sólidos sobre as características de programas efetivos. Ele é acompanhado por um segundo documento (Volume II), que enfoca os tópicos e objetivos de aprendizado a serem tratados em diferentes grupos etários na educação em sexualidade para crianças e jovens entre 5 e 18 e mais anos de idade, juntamente com uma bibliografia de recursos úteis. A Orientação Técnica Internacional é relevante não apenas para os países mais afetados pela aids, como também para os que enfrentam epidemias de baixa prevalência e concentradas.

Os pais e as famílias têm um papel vital em moldar a forma como entendemos nossas identidades sociais e sexuais. É preciso que os responsáveis parentais sejam capazes de abordar os aspectos físicos e comportamentais da sexualidade humana com seus j lhos, e as crianças precisam receber as informações e ser equipadas com os conhecimentos e habilidades para tomar decisões responsáveis sobre sexualidade, relacionamentos, VIH e outras doenças sexualmente transmitidas.

Hoje em dia, uma quantidade muito pequena de jovens recebe uma preparação adequada, o que os deixa vulneráveis a coação, abuso, exploração, gravidez indesejada e doenças sexualmente transmitidas, inclusive o VIH. O Relatório Global do ONUSIDA 2008 sobre a Epidemia de SIDA informou que somente 40% dos jovens entre 15 e 24 anos possuíam conhecimentos corretos sobre o VIH e sua transmissão. Esse conhecimento é ainda mais urgente, uma vez que jovens nessa faixa etária representam 45% de todas as novas infecções pelo VIH.

Documento disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001832/183281por.pdf